4.8.2010 às 04:06

A saga do MacBook Pro

Algumas pessoas sabem que minha memória não é grandes coisas e esse é mais um dos motivos desse blog existir, um backup da minha memória, então vamos lá!

Nota: nesse post, sempre que me refiro à Apple, estou falando da Apple Brasil, que tem políticas bastante diferentes da Apple dos Estados Unidos.

Essa história começou dia 1 de junho, quando encomendei o tal MacBook Pro de 15″, mid 2010, Core i7 com a configuração padrão a não ser pela tela, que escolhi a de alta resolução. Por se tratar de um produto personalizado, o prazo de entrega foi maior que o normal pois ele teria que ser importado especificamente para mim, já que, aparentemente, eles não mantém em estoque.

Uns dias depois, dia 11, o produto, já no Brasil, foi encaminhado para a Rapidão Cometa, transportadora que faz as entregas da Apple, e chegou na tarde do dia 16. Até então, tudo ok!

Os problemas começaram dia 22, quando, ao abrir a tela, me deparo com ela toda preta e uma “névoa” colorida movendo-se para a esquerda. No momento eu pensei que aquilo era normal e se tratava de algum screen saver tosco pois desapareceu em seguida, mas o problema ocorreu novamente, 2 ou 3 horas depois, quando voltei do shopping, ao abrir a tela, porém, dessa vez encontrei ela toda branca com linhas horizontais piscando e alguns outros artefatos.

Claramente isso não era um screen saver. Resolvi tentar reproduzir o erro para fotografar e consegui, como pode-se ver nesse álbum no flickr. Desde então só piorou, ficando mais frequente e aparecendo problema até onde não aparecia: ao ligar o computador e depois de logado no OS X (repare nas linhas azuis, elas não fazem parte do vídeo que eu estava vendo), além disso uma vez a back light simplesmente apagou e não voltava mais, tive que reiniciar na marra.

Depois de limpar, levemente, meus dados pois eu pensava que a Apple levava minimamente a sério os dados dos clientes (mais sobre isso no fim do texto) entrei em contato com eles para realizar a troca. O atendimento foi bom, me informaram um código que deveria estar escrito na caixa do produto e que a transportadora entraria em contato para marcar a data da coleta.

No dia da coleta a transportadora veio e levou o MacBook defeituoso. Vale observar que eles não deixam nenhum documento para registrar a coleta, mas felizmente eu fui mais esperto e imprimi um recibo para ser preenchido e assinado pela transportadora, além disso anotei a placa do veículo.

Após algumas semanas de espera, o MacBook substituto chegou, na manhã do dia 15/07/2010, lá pelas 10 horas. De tarde, cheguei em casa e fui abrir a caixa para, finalmente, migrar para o Mac. Abri a caixa externa, retirei a caixa do MacBook Pro, abri ela, retirei o MacBook e, logo de cara, notei que tinha uma marca no plástico que envolve o produto, como se um adesivo tivesse sido removido dali. Além disso o MacBook estava com várias pequenas marcas, pequenas sujeiras.

Já desconfiado, liguei o MacBook e, enquanto esperava a instalação do OS X, reparei um arranhão ao lado do trackpad. Não deu outra: assim que terminei a instalação do OS X baixei uns programas para recuperação de arquivos removidos e… BINGO! Me mandaram um MacBook Pro USADO! E não para por aí, eu deixei ele ligado mesmo depois de ter constatado isso e, mais tarde, enquanto eu entrava no quarto, ví que ele estava reiniciando sozinho, do nada! Isso é: além de enviar um produto usado e arranhado, ele ainda vem com defeito!

Liguei imediatamente para a Apple a fim de deixar clara minha indignação com o desrespeito absurdo, deixei claro que eu não paguei um produto caro, direto da Apple e a vista para passar por isso. Se fosse para comprar um MacBook de origem duvidosa eu compraria do Paraguai, de algum camelô ou pelo MercadoLivre, pois aposto que se comprasse em algum desses vendedores “alternativos” não teria os problemas que tive com a Apple.

A Apple ofereceu OUTRA troca, dessa vez por um produto novo, ou o dinheiro de volta. Bom, como dizem que a 3ª vez dá sorte… Optei por dar a última chance à Apple. Eles pediram desculpas e todo aquele bla, bla, bla de sempre, disseram que meu caso será tratado com urgência e informaram que a transportadora ia entrar em contato novamente para agendar a coleta, que foi no dia 20/07.

Após esperar o processo de troca, nada ansioso ja que nesse ponto já estava totalmente desanimado, recebi, no dia 30/07, um email avisando que o novo produto fora enviado. Dessa vez, o prazo da entrega informado pela transportadora foi para o dia 04/08.

Alguns dias depois, no almoço do dia 03/04, o interfone toca: sim, para meu espanto, o MacBook chegou um dia antes do prazo e terminei de escrever esse post nele, inclusive. Até o momento ele não apresentou problema algum, porém é muito cedo para qualquer conclusão pois só tem umas 12 horas de uso.

Consequências para a Apple

Bom, infelizmente, para a Apple, esse caso todo não foi nada bom para os negócios. Mesmo sem postar nada aqui no blog, e portanto não ter como encontrar no Google, vários amigos ficaram sabendo do caso através do Twitter e do Windows Live Messenger e alguns deles estavam pensando em comprar produtos da Apple.

Pelo que me lembro, só nas pessoas diretamente ligadas a mim, a Apple perdeu a venda de um Mac Mini, um MacBook Pro e um iPod Touch. E eu nem falei mal da Apple, não! Tentei ser o mais neutro possível, na verdade.

Claro, você deve estar resmungando: “mas isso não é nada pra eles”, então devo lembrá-lo que essas pessoas também tem amigos, e esses amigos tem mais amigos… Além disso alguém pode resolver não arriscar comprar da Apple depois de ler esse post, eu mesmo já fiz muito disso.

Comparação com a Gateway

Todos falam que a Apple tem um atendimento muito bom e tudo mais. Sinceramente? Não vi nada de incrível. Sim, os atendentes me trataram muito bem, falam como gente e são bem prestativos, mas isso não passa da obrigação da Apple. Para entender onde eu quero chegar, vou comparar com um dos vários casos, que vi relatados em fórums e foram decisivos para a compra do meu notebook anterior, da Gateway.

O relato conta que um sujeito comprou um notebook da Gateway e esse veio com o case amassado. Ele tirou foto e enviou para a Gateway perguntando se era normal, eles responderam que não e orientaram-no a devolver o produto para que fosse trocado. Um tempo depois o cliente recebeu o novo notebook em perfeito estado e, para sua surpresa, ele descobriu que havia ganho um processador significativamente melhor que o original.

Não estou dizendo que a Apple deveria ter feito algo do tipo, obviamente um iPod Touch ou Nano seria muito bem vindo, mas, para uma empresa que é conhecida por ter um pos-venda exemplar e vende produtos “de luxo”, é uma chinelagem sem tamanho enviar um produto usado, arranhado e com defeito para um cliente que acabou de ter problema com o primeiro que enviaram (além de ser ilegal, claro).

Já estou cansado de “chingar muito no twitter (e no blog)”, então espero que dessa vez eu não tenha mais problemas com a Apple e possa, finalmente, passar o notebook antigo adiante. Por via das dúvidas, não comprarei mais com a Apple do Brasil. No máximo, comprarei de revendas pois assim tenho onde reclamar fisicamente. Ia comprar o próximo iPod Touch ou um nano, mas vou deixar para quando for aos Estados Unidos, é mais barato e o risco é o mesmo.

Gostaria de deixar uma “menção honrosa” pro pessoal da iPlace de Porto Alegre que deu uma força na primeira vez que tive problemas, além de terem me dado uma caixa para mandar o primeiro MacBook de volta pois a original já tinha ido pro lixo.

Comentários (3)

  1. Raizchan em 31.10.2010 às 15:22

    É por esse motivo que eu prefiro até esperar um pouco mais pelo lançamento do produto nas revendedoras oficiais. Quando comprei meu iPod touch (1a geração) na fnac ele apresentou um defeito de software uns 4 meses depois da compra, encaminhei o produto (que estava na garantia) até uma MacStore e eu recebi um iPod novo em menos de duas semanas com outro par de fones de ouvido. Fica a dica comprar em uma revendedora ou diretamente no exterior, poupa uma incrível dor de cabeça.

    • Guilherme Donato em 31.10.2010 às 23:54

      Pois é, comprei diretamente da Apple para evitar problemas e ter o menor preço (desconto para estudante + desconto pra pagamento à vista e um outro desconto que não lembro). Agora, se comprar, só vou comprar nos EUA, mesmo que seja um pouco mais caro. :/

      • Raizchan em 2.11.2010 às 02:41

        Algumas revendedoras também oferecem desconto pra pagamento à vista ou oferecem algum tipo de “brinde” (mesa pra apoio, softwares) etc. Não é o mesmo que todos esses descontos mas já é alguma coisa.

Comentar

Seu email não será publicado.